A história de Nossa Senhora de Guadalupe é «apaixonante»



Entrevista ao padre Alexandre Paciolli, L.C.

BRASÍLIA, quarta-feira, 10 de dezembro de 2008 (ZENIT.org).- «A história de Nossa Senhora de Guadalupe é sem dúvida apaixonante, assim como todos os estudos realizados na imagem dela», afirma o sacerdote responsável pelo apostolado da Virgem Peregrina da Família.

Às vésperas do dia da padroeira da América, 12 de dezembro, Zenit entrevistou o Pe. Alexandre Paciolli, L.C., da paróquia Nossa Senhora de Guadalupe, em Brasília.

O sacerdote Legionário de Cristo falou sobre o milagre de Guadalupe durante o Encontro Juventude e Família, celebrado de 12 a 14 de dezembro, na capital brasileira.


–Como surgiu o apostolado da Virgem Peregrina de Guadalupe?

–Pe. Alexandre: Quando eu era diácono, no ano 2000, tive a graça de exercer meu ministério no Rio de Janeiro. Lá, depois de palpar o fervor das famílias, e, ao mesmo tempo, ver tantas situações delicadas, senti a necessidade de levar a capelinha de Nossa Senhora de Guadalupe aos lares católicos, a fim de que a Padroeira da América resolvesse aquelas situações. Comecei com a ajuda da Canção Nova, a divulgar essa devoção e a propagar os últimos estudos científicos na tilma de S. Juan Diego. Foi uma bênção. No primeiro evento na Canção Nova saíram 1500 capelinhas peregrinas. Depois fui ao Hallel de Franca para pregar, e lá também Nossa Senhora de Guadalupe entrou em muitos lares. Hoje ela se faz presente em mais de 20 países!


–Fale-nos dos objetivos e dos frutos do apostolado.

–Pe. Alexandre: Os objetivos desse apostolado em torno da Virgem de Guadalupe são: rezar o terço em família, convidar mais famílias a participarem do terço, acolher a vida humana, promover as vocações à vida consagrada e sacerdotal e dar testemunho do amor cristão. Os frutos são conversões em grande número, curas físicas e espirituais, famílias renovadas... Sugiro que vejam o site:www.virgemperegrina.com.br com uma quantidade de testemunhos.


–A Virgem de Guadalupe ainda continua seduzindo corações e despertando interesse?

–Pe. Alexandre: Sem dúvida, a história de Nossa Senhora de Guadalupe é apaixonante, assim como todos os estudos realizados sobre a imagem dela. Este fato, para o qual a ciência, depois de 500 anos, ainda não encontraram uma explicação, é um dos mistérios mais surpreendentes de todos os tempos. Um mistério que representa, desde então, um dos maiores pontos de união entre todos nós católicos. Dizia o Dr. Homero Hernández Illescas, investigador e cientista guadalupano: “É um fato que não se pode explicar simplesmente por argumentos humanos”. E sem dúvida é assim! A Virgem de Guadalupe está ligada de modo especial ao nascimento da Igreja nos povos da América que, através dela, chegaram a encontrar Cristo. Sua aparição ao índio Juan Diego na colina do Tepeyac teve uma repercussão decisiva na evangelização. Sua influência supera amplamente os limites da nação mexicana, alcançando o continente inteiro. A América reconheceu no rosto mestiço da Virgem de Guadalupe o grande exemplo de uma evangelização perfeitamente inculturada. Não só no Centro e no Sul, mas também no Norte do continente, ela é venerada como Rainha de toda a América. De fato, Pio X proclamou Nossa Senhora de Guadalupe "Padroeira de toda a América Latina"; Pio XI a denominou "Padroeira das Américas"; em 1945 Pio XII proclamou-a "Imperatriz de toda a América", e João XXIII, "Missionária Celeste do novo mundo" e "Mãe das Américas"; finalmente João Paulo II pediu que, em todo continente, o dia 12 de dezembro fosse dedicado à Virgem de Guadalupe, "Mãe e Evangelizadora da América"! Não são várias, mas uma só América sob o manto de Nossa Senhora de Guadalupe.


–Qual o significado dos apostolados marianos na América, continente de grande devoção à Virgem?

–Pe. Alexandre: Para mim esses apostolados têm a função de unir o continente americano sob o manto de Nossa Senhora; um continente marcado por tantas diferenças sociais, situações de conflito, e em certos lugares até de opressão, invasão das seitas... Nossa Senhora deseja que a nossa fé católica siga sempre forte, que não desistamos ou diminuamos o ritmo da evangelização, pois ela está passando diante de todas nossas necessidades. Gosto muito dessa oração, escrita por João Paulo II. Ela reflete o que falei acima: "Concedei que sejamos fiéis testemunhas da vossa Assunção aos olhos das novas gerações da América, para que, conhecendo-Vos, Vos sigam e encontrem em Vós a sua paz e a sua alegria... Dai-nos força para anunciar corajosamente a vossa Palavra a serviço da nova evangelização, para consolidar no mundo a esperança... Nossa Senhora de Guadalupe, Mãe da América, rogai por nós!" (Ecclesia in America, 76)


–Qual a importância de cultivar o amor a Maria, em especial sob o título da Virgem de Guadalupe?

–Pe. Alexandre: É para entregar a ela o nosso continente, a fim de que nele reine sempre o zelo evangelizador, na fidelidade a Cristo e à Igreja. Em Maria de Guadalupe temos a “Estrela da primeira e da nova evangelização”. Ela deu força aos nossos predecessores para serem fiéis a Cristo. Nós também queremos ser fiéis, sob o manto dela! Não esqueçamos, porém, que toda devoção mariana é essencialmente imitação de Maria! Portanto a Santíssima Virgem deve ser para cada um de nós o modelo mais acabado da nova criatura surgida do poder redentor de Cristo, e o testemunho mais eloqüente da novidade de vida trazida pela sua ressurreição. Devemos sempre cultivar a verdadeira devoção à Santíssima Virgem, Mãe amantíssima da Igreja, que consiste muito especialmente na imitação de suas virtudes, sobretudo de sua fé, esperança e caridade, de sua obediência, de sua humildade e de sua colaboração no plano redentor de Cristo.



Fonte: Zenit.org